DOCUMENTOS

Plano de Melhoramentos Pereira Passos - Plano de Embelezamento e Saneamento da Cidade
PEREIRA PASSOS, Francisco
PLANO URBANÍSTICO0 - Rio de Janeiro - Rio de Janeiro

Biblioteca: Arquivo Geral da Cidade do Rio de Janeiro - AGCRJ
Cidade Objeto: Rio de Janeiro - Rio de Janeiro

Descrição e Resumo

O Plano ou Reforma de Pereira Passos, denominado "Embelezamento e Saneamento da Cidade", reformula e amplia o antigo Plano de Melhoramentos elaborado pela Comissão de Melhoramentos, em 1875, da qual faziam parte o próprio Francisco Pereira Passos e os engenheiros Jerônimo de Rodrigues de Morais Jardim e Marcelino Ramos da Silva.
O plano que serve de base à grandiosa obra de remodelação da cidade consta do Ofício no 30, de 13 de abril de 1903, do engenheiro-chefe da Comissão da Carta Cadastral Américo de Souza Rangel, nomeado por Pereira Passos para coordenar as obras da prefeitura ao Diretor de Obras e Viação, engenheiro Carlos Augusto de Nascimento Silva.
As obras de Pereira Passos complementam as transformações da cidade efetuadas pelo presidente Rodrigues Alves, em que se destaca o Porto do Rio de Janeiro. Outras obras que ficam sob a responsabilidade do governo federal são a conclusão do canal do Mangue, o arrasamento do morro do Senado e a abertura de grandes avenidas como a Avenida Central.
A primeira obra inaugurada, seis meses após a posse de Pereira Passos, é o alargamento e prolongamento da Rua do Sacramento, no Centro da Cidade, da Praça Tiradentes à Rua Senhor dos Passos e, desta, até a Marechal Floriano. A rua é batizada com o nome de Avenida Passos.
O plano tem como objetivo dar mais fluidez ao tráfego nas ruas da cidade do Rio de Janeiro, substituir as vielas por ruas arborizadas, promover melhores condições estéticas e higiênicas para as construções urbanas, sanear, embelezar. As avenidas constituem o instrumento principal do plano, destinado a transformar a capital da República em uma cidade moderna.
O plano prevê a abertura de alguns grandes eixos de circulação da cidade: a Avenida Beira-Mar, que desafoga o trânsito entre o Centro, Botafogo e Catete, além de impulsionar a ocupação da orla marítima e a Avenida Mem de Sá que parte do Largo da Lapa, passa sob os arcos da Carioca e termina na Rua Frei Caneca.
A Reforma de Pereira Passos está inspirada nas intervenções do prefeito Haussmann (1853-1870) ao transformar a cidade de Paris em metrópole moderna.
A obra de maior vulto é a Avenida Central, atual Avenida Rio Branco, cuja execução fica a cargo da Administração Federal, assim como a Avenida Rodrigues Alves e a Avenida Francisco Bicalho.
Anteriormente, um projeto de 1884, de autoria do arquiteto italiano Giuseppe Fogliani, previa uma avenida cortando o Centro com 1.130m de extensão e 25m de largura.
Originalmente a Avenida Central é idealizada pelo ministro de Viação e Obras Publicas, Lauro Müller, e executada pela "Comissão Construtora da Avenida Central", chefiada pelo engenheiro André Gustavo Paulo de Frontin. O objetivo de seu traçado é ligar o centro da cidade ao então recem-construído Porto do Rio de Janeiro.
Constituem as principais obras do Plano Pereira Passos:
Avenida Beira-Mar: com 5.200m de extensão e 33m de largura, desde o começo da Avenida Rio Branco até o fim da Praia de Botafogo. Toda a faixa da avenida é conquistada ao mar por um aterro executado por uma firma denominada "Empresa Construtora da Avenida Beira Mar".
Avenida Mem de Sá: é a maior obra depois da Avenida Beira-Mar. É uma via diagonal destinada a ligar a Lapa à Tijuca e a São Cristóvão, através das Ruas Frei Caneca, Salvador de Sá e Estácio de Sá: tem 17m de largura e 1.550m de extensão.
Avenida Salvador de Sá: tem 800m de extensão e 17m de comprimento. O objetivo é encurtar a distância percorrida pelo arco da Rua Frei Caneca.
Rua Estácio de Sá: esta rua, juntamente com Avenida Salvador de Sá, dá continuidade às duas radiais que se unem na Rua Frei Caneca.
Avenida Rio Branco: a abertura dessa grande diagonal é executada sob a responsabilidade do Ministério da Viação com a "Comissão Construtora da Avenida Central" sob a chefia do Engenheiro André Gustavo Paulo de Frontin.
Avenida Francisco Bicalho: é uma importante via resultante das obras de saneamento, com o prolongamento do Canal do Mangue desde a Ponte dos Marinheiros até o mar, em São Cristóvão, onde termina o novo cais. Tem extensão de 1380m e largura de 95m.
Obras do Cais do Porto: as obras abrangem a dragagem e a construção da muralha do cais. Depois foi feito o aterro de 175.000 m2 de área conquistada ao mar; colocação de trilhos da EFCB e da Leopoldina e das linhas do Cais do Porto.
Avenida Marechal Floriano: tem 400m de comprimento e 24m de largura. É resultado do prolongamento da Rua Larga de S. Joaquim e da Rua Estreita de S. Joaquim.
Rua Visconde de Inhaúma: esta rua é alargada de 6.5m para 24m, na sua extensão de 370m, até o Largo de Santa Rita, para dar continuidade à Avenida Marechal Floriano.
Avenida Rodrigues Alves: esta avenida é resultante das obras do porto. Ela é projetada para ser destinada ao movimento do porto, consequentemente prevista para veículos de carga. Ela tem servido como via radial da ligação do Centro com a zona norte.
Avenida Atlântica: em toda sua grande extensão é objeto de aterro, construindo-se muralha e passeios. Tem 4.200m de extensão e 18m de largura.
Túnel do Leme: o projeto é de administrações passadas, mas é no governo Pereira Passos que o túnel é finalmente construído, pela Companhia Jardim Botânico.
Obras de Higiene: Passos também cuida da parte higiênica e estética da cidade, com a instalação de mictórios e defectórios em locais de aglomeração, como as praças e recantos.
Além destas, o plano de Pereira Passos é responsável por inúmeras obras de grande importância para a cidade do Rio de Janeiro: obras como as do Passeio Público, Praça XV de Novembro, Praça São Salvador, Praça Tiradentes, o Largo da Lapa, entre outras obras. Biblioteca:
ABREU, Maurício. Evolução urbana do Rio de Janeiro. Rio de Janeiro: Instituto de Planejamento Municipal, 1987.
ATHAYDE, Raymundo de. Pereira Passos - o reformador do Rio de Janeiro - biografia e história. Rio de Janeiro, 1944.
BENCHIMOL, Jaime Larry. Pereira Passos: um Haussmann Tropical. Rio de Janeiro : Biblioteca Carioca., 1990.
___________ Projeto de abertura da Avenida Mem de Sá. Diretoria da Comissão de Carta Cadastral.
BILAC, Passos & BANDEIRA, Plantas do Rio de Janeiro. Comissão da Carta Cadastral.
CORBUSIER, Le. Le Prefet Passos. Revista Municipal de Engenharia. Rio de Janeiro, set. 1936.
PASSOS, Francisco Pereira. Mensagem do prefeito sobre: saneamento e embelezamento da cidade. Rio de Janeiro : Tipografia Gazeta de Notícias, 1903.
PORTO ROCHA, Oswaldo. A era das demolições, cidade do Rio de Janeiro: 1970-1920. Rio de Janeiro, 1986.
REIS, José de Oliveira. O Rio de Janeiro e seus prefeitos: projetos de alinhamento. Rio de Janeiro : Prefeitura da Cidade do Rio de Janeiro, 1977. vol. II.
RIBEIRO, A . Miranda. Dr. Pereira Passos, o reformador da cidade. Revista do Clube de Engenharia, Rio de Janeiro, 1936.
ROSA, Francisco Ferreira da. A Remodelação do Rio de Janeiro sob a prefeitura de Pereira Passos. Revista do Clube de Engenharia, Rio de Janeiro, 1936.
TIPOGRAFIA do Economista Brasileiro. .A administração do Dr. Francisco Pereira Passos no Distrito Federal. 1906.





Plano geral de obras do Rio de Janeiro. Fonte: Passos, Edison. Melhoramentos do Rio de Janeiro. Revista do Clube de Engenharia, RJ, n. 73, maio junho de 1944

Textos disponíveis no banco de dados:


Uma Carta de Francisco Pereira Passos
Mensagem do Projeto do Distrito Federal
Mensagem do Prefeito sobre Saneamento e Embelezamento da Cidade
Plano de Melhoramentos Pereira Passos - Plano de Embelezamento e Saneamento da Cidade