DOCUMENTOS

Pampulha
PREFEITURA MUNICIPAL DE BELO HORIZONTE
PLANO URBANÍSTICO - 1940
Biblioteca: Museu Histórico Abílio Barreto
Cidade Objeto: Belo Horizonte - Minas Gerais

Descrição e Resumo

Na origem deste projeto estava a idéia do governador Benedito Valadares (1933-45) de construir um cassino na cidade, na região do Acaba Mundo, próximo ao atual bairro Sion. A ele o ministro Gustavo Capanema teria sugerido que se fizesse algo "moderno", para isso recomendando ao governador o jovem arquiteto Oscar Niemeyer. Quando Juscelino Kubitschek assumiu a prefeitura, em 1940, a idéia foi incorporada a um projeto mais amplo de "embelezamento" (a expressão é do próprio Kubitschek) da cidade, de modo a dar sustentação ao desenvolvimento do turismo, dentro do qual o cassino seria um dos elementos centrais de um novo bairro que deveria, ademais, dotar a cidade de uma frente de expansão residencial qualificada e favorecer a prática de esportes. Define-se então a idéia de um bairro residencial de luxo, articulado a um centro de esportes e de diversões construído em volta da lagoa. Numa faixa de 500 metros a partir do alinhamento externo de uma avenida arborizada e iluminada contornando a lagoa, os lotes deveriam ter, no mínimo, 1000 metros quadrados e 20 metros de frente. A concepção do bairro teve por base um traçado de acordo com a paisagem e dentro das normas urbanísticas modernas, estruturando-se a partir do conjunto arquitetônico projetado por Niemeyer. Este incluía o cassino (atualmente Museu de Arte Moderna), destinado a inserir Belo Horizonte no circuito turístico do jogo, a Casa do Baile, situada numa ilha artificial, do lado oposto ao do cassino, destinada às diversões populares, o Iate Golfe Clube, para a prática de esportes náuticos, uma igreja (a de São Francisco) e um hotel (não construído). Uma outra ilha artificial, a Ilha dos Amores, bem no meio da lagoa, proporcionaria recantos pitorescos com acesso apenas por meio de barcos. Foram ainda propostos um grande parque dotado de campo de golfe (também não construído), posto médico e policial e estação de tratamento d’água. Além destes equipamentos públicos, projetou-se para o governador uma residência em linhas modernas, nas proximidades do cassino. Em 1942 foram concluídos o cassino, a Casa do Baile e o Iate e, no ano seguinte, a igreja. O conjunto foi inaugurado pelo Presidente Getúlio Vargas em 1943. A proibição do jogo, o rompimento da barragem formadora da lagoa (1954) e, posteriormente, o assoreamento e a poluição desta pesaram negativamente no desenvolvimento do bairro, mas não impediram que ele marcasse uma ruptura profunda com a proposta urbanística original da cidade e que associasse a estética da arquitetura moderna à idéia de progresso perseguida na administração Kubitschek.
Fontes:
a) Bibliográficas:
KUBITSCHEK, Juscelino. Da Pampulha a Brasília: os Caminhos da Providência. Módulo. Rio de Janeiro, nr. 41, p. 15-19, dez. 1975.
PREFEITURA de Belo Horizonte. Relatório dos Exercícios de 1940 e 1941. Belo Horizonte, 1942, 142 p.
WILQUIN, Luce e DELCOURT, André. Oscar Niemeyer. Belmont-sur-Lausanne: Alphabet, 1977, 507 p., p. 20-23.
XAVIER, Alberto (org.) Arquitetura Moderna Brasileira: Depoimentos de uma Geração. São Paulo: Pini, 1987
c) Cartográficas:
BELO HORIZONTE. Pampulha - Zona Sul - Planta de locação do plano de urbanismo. PBH, 1942, escala 1:1.000, dimensões: 127x89 cm. (Planta de loteamento originado da subdivisão de terrenos lindeiros à barragem da Pampulha, delimitado pela avenida Getúlio Vargas, pelas ruas Sardenha e Livorno e por uma praça.)
BELO HORIZONTE. Planta Geral de Belo Horizonte. PBH, 1942, escala 1:10.000, dimensões: 100.2x174.6 cm. (Apresenta a configuração urbanística da Pampulha em detalhe, com a indicação de lotes, ruas e seções e os equipamentos projetados.)





Mapa do município de Belo Horizonte vendo-se, no alto, a lagoa da Pampulha e a ocupação de seu entorno (organizado pelo Departamento Geográfico do Estado de Minas Gerais), 1964, escala 1:40.000

Textos disponíveis no banco de dados:


Planta Geral da Cidade de Belo Horizonte
Relação dos logradouros públicos da cidade
Pampulha
Planta Geral da Cidade de Bello Horizonte
Planta Geral da Cidade de Belo Horizonte
Planta Geral da Cidade de Bello Horizonte. Belo Horizonte: 1928-29
Avenida Amazonas
Planta Cadastral de Belo Horizonte
Planta Geral de Belo Horizonte
Pampulha - Zona Sul - planta de locação do plano de urbanismo
Planta cadastral do extinto arraial de Belo Horizonte, antigo Curral Del Rey, comparada com a planta da Nova Capital no espaço abrangido por aquele arraial
Estudo de ligação da BR-3
Estudo de ligação entre a Av. Bias Fortes e a Av. Dom Pedro II
Cidade Jardim